A exposição MNCN / LifeInvasaqua está agora em exibição em Portugal

This post is also available in: Español (Spanish) Português (Portuguese (Portugal))

 

Madrid, 25 Out.- A exposição do Museu Nacional de Ciências Naturais (MNCN-CSIC) “Cuidado! Invasoras Acuaticas” chegou a Portugal, onde estará exposto no Centro de Ciencia Viva de Estremoz (CCV) até ao final do ano.

Desenvolvida pelo MNCN-CSIC no âmbito do projecto LifeInvasaqua da União Europeia, a exposição fornece informações e dados úteis sobre as principais espécies aquáticas invasoras (IAS) nas águas interiores da Península Ibérica e os problemas que estas causam: ecológicos, sanitários e económicos.

Jacinto-de-água, camarão, camarão empoleirado, peixe-gato, mexilhão-zebra, jacinto-de-água, azoles, mas também carapaças douradas, salmão do Danúbio, caranguejo vermelho americano e caranguejo sinal, caracóis de lodo, mosquito tigre ou rãs de touro, são algumas das espécies cobertas.

As IAS são consideradas pela União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN) como a segunda causa da perda de biodiversidade e a primeira nas ilhas, recordam-nos os promotores da exposição.

É por isso que “Cuidado! Aquatic Invasives” fornece dados sobre o grau de ameaça à fauna e flora nativas, bem como as consequências que elas acarretam.

A exposição consiste em mais de 25 painéis informativos que estão expostos no claustro das instalações do CCV em Estremoz, relata o Museu Nacional de Ciências Naturais e LifeInvasaqua.

A exposição foi inicialmente exibida na sede da MNCN em Madrid entre Janeiro e Março de 2020 e esteve também em exposição na Andaluzia.
Ao mesmo tempo, desde o início de Outubro até ao final de Novembro, estará também em exposição nas Astúrias, no Aquário de Gijón.

“Cuidado! Aquatic Invasives” está dividido em quatro grupos principais: peixes, invertebrados, vertebrados-não-pescadores, plantas-fungos, e também inclui recomendações e acções que podem ser tomadas em diferentes campos de acção para evitar que espécies exóticas invadam o ambiente natural.

Nos Centros de Ciência Viva, como o que acolhe a exposição, Ciência e Tecnologia são mostrados de forma interactiva e dinâmica a todos os visitantes, e no próximo ano, a exposição itinerante Beware! Aquatic Invasives irá visitar outros centros da rede portuguesa Ciência Viva.

Life Invasaqua, que é co-financiado pelo Programa Life da UE e apoiado pela Fundação Biodiversidade, envolve as universidades de Murcia, Santiago de Compostela, Navarra e Évora (Portugal), a Sociedade Ibérica de Ictiologia (Sibic), a EFE através da EFEverde, a IUCN, o MNCN do CSIC e a Associação Portuguesa de Educação Ambiental (Aspea). EFE
em

Invasive_alien_species_implementation_report

Recursos Lifeinvasaqua gratuitos

GUÍA “¡CUIDADO! INVASORAS ACUÁTICAS”

Exposición virtual ¿Cuidado! Invasoras acuáticas.


(ES) El contenido de este documento refleja únicamente las opiniones de sus autores y la Unión Europea/EASME no se hace responsable del uso que pueda hacerse de la información contenida en él.


Más información sobre especies exóticas invasoras y medio ambiente en: www.efeverde.com Catalogo de EEI en España BOE-A-2013

Sobre LIFE17 GIE/ES/000515  Life Invasaqua de la UE.

Especies exóticas invasoras de agua dulce y sistemas estuarinos: sensibilización y prevención en la Península Ibérica

Cofinanciado por la UE en el marco de la iniciativa Life  y coordinado por  la Universidad de Murcia,  LIFE INVASAQUA tiene por objeto contribuir a la reducción de los impactos perjudiciales de las ESPECIES EXÓTICAS INVASORAS (EEI) sobre la biodiversidad mediante el aumento de la sensibilización del público, el aumento de la formación en sectores involucrados y la creación de herramientas para un sistema eficiente de alerta temprana y respuesta rápida (Early Warning and Rapid Response, EWRR) para gestionar sus repercusiones en los ecosistemas de agua dulce y estuarios.

Life Invasaqua está coordinado por la Universidad de Murcia con la participación de 8 socios: EFEverde de la Agencia EFE, la UICN-Med, el Museo de Ciencias Naturales-Consejo Superior de Investigaciones Científicas, la Sociedad Ibérica de Ictiología (SIBIC), la Universidad de Navarra, la Universidad de Santiago de Compostela, la Universidad de Évora y la Associaçao Portuguesa de Educaçao Ambiental (ASPEA) @lifeinvasaqua