As IAS e as questões fluviais foram o foco da actividade do ASPEA/Lifeinvasaqua no Dia Mundial dos Rios.

This post is also available in: Español (Espanhol)

A Associação Portuguesa de Educação Ambiental (ASPEA), em parceria com a Câmara Municipal de Benavente e no âmbito da celebração do Dia Mundial dos Rios, organizou um evento dedicado aos rios no dia 3 de outubro, na Vala Nova.

Esta atividade, com o mote “com um pé no rio”, teve como principal objetivo proporcionar bons momentos junto ao rio e aproximar o público destes locais. Conhecendo e reconhecendo o potencial e importância dos rios, será possível sensibilizar os participantes para a necessidade de conservação dos ecossistemas ribeirinhos.

Para tal, os participantes foram desafiados a aprender mais sobre os projetos ligados aos ecossistemas ribeirinhos, a andar de canoa, a fazer um passeio de barco com observação de aves e a participar num workshop dedicado a esta temática.Devido às medidas de contingência, a participação foi limitada a 20 pessoas. Infelizmente, as condições climatéricas que se fizeram sentir durante a madrugada do dia 3 de outubro fizeram com que alguns dos inscritos não aparecessem no evento, apesar de durante todo o dia não ter chovido e o sol marcou presença.

O dia começou com uma receção aos participantes e a primeira atividade realizada foi a canoagem. Acompanhados por dois instrutores, os participantes aprenderam as regras básicas de segurança e de como manobrar a canoa antes de entrar na água. Depois do briefing, cada par entrou na sua canoa e seguiu juntamente com os instrutores pela Vala Nova. Durante o passeio os participantes experienciaram uma sensação de proximidade ao ecossistema e toda a sua envolvente. “Foi fantástico”, “Adorei”, “Por mim continuava mais tempo” foram alguns dos comentários dos participantes ao sair das canoas.

Após a canoagem, o barco já se encontrava à nossa espera para seguirmos viagem, também na Vala Nova, mas desta vez com um percurso maior e com uma vertente diferente. Neste percurso, ficaríamos a conhecer mais sobre a história do local e as espécies que nele habitam. Acompanhados pelo Diogo, o passeio com mais de uma hora, permitiu observar as diferentes aves que habitam nas margens do rio, entre garças e cegonhas. Infelizmente, durante todo o percurso a presença do jacinto-de-água foi uma constante. Esta planta aquática invasora com origem na América do Sul, foi introduzida em Portugal e está a causar efeitos negativos nos ecossistemas de água doce e estuarinos de todo o país, porque cresce muito rápido e provoca a obstrução dos rios, cobrindo totalmente a sua superfície.

Na hora de almoço, os participantes foram desafiados a fazer um picnic com zero resíduos e todos fizeram um esforço para produzir o menor número possível de resíduos, através da utilização de materiais reutilizáveis.

Da parte da tarde, como forma de cada um deixar a sua marca na Vala Nova e de refletir sobre a problemática das espécies exóticas invasoras, foi realizado um workshop durante o qual os participantes criaram a sua placa que iria ser fixada num tronco de uma árvore à entrada do local. Esta foi uma forma de assinalar o Dia Mundial dos Rios e, quiçá, da início a uma prática de cada um que passar por este local deixar o seu testemunho.

 

 

 

 

 

 

 

No final do dia, o feedback foi muito positivo. Todos os participantes saíram de Benavente com vontade de voltar e, acima de tudo, de viver bons momentos junto ao rio.

 

A Associação Portuguesa de Educação Ambiental (ASPEA), em parceria com a Câmara Municipal de Benavente e no âmbito da celebração do Dia Mundial dos Rios, organizou um evento dedicado aos rios no dia 3 de outubro, na Vala Nova.

Esta atividade, com o mote “com um pé no rio”, teve como principal objetivo proporcionar bons momentos junto ao rio e aproximar o público destes locais. Conhecendo e reconhecendo o potencial e importância dos rios, será possível sensibilizar os participantes para a necessidade de conservação dos ecossistemas ribeirinhos.

Para tal, os participantes foram desafiados a aprender mais sobre os projetos ligados aos ecossistemas ribeirinhos, a andar de canoa, a fazer um passeio de barco com observação de aves e a participar num workshop dedicado a esta temática. Devido às medidas de contingência, a participação foi limitada a 20 pessoas. Infelizmente, as condições climatéricas que se fizeram sentir durante a madrugada do dia 3 de outubro fizeram com que alguns dos inscritos não aparecessem no evento, apesar de durante todo o dia não ter chovido e o sol marcou presença.

O dia começou com uma receção aos participantes e a primeira atividade realizada foi a canoagem. Acompanhados por dois instrutores, os participantes aprenderam as regras básicas de segurança e de como manobrar a canoa antes de entrar na água. Depois do briefing, cada par entrou na sua canoa e seguiu juntamente com os instrutores pela Vala Nova. Durante o passeio os participantes experienciaram uma sensação de proximidade ao ecossistema e toda a sua envolvente. “Foi fantástico”, “Adorei”, “Por mim continuava mais tempo” foram alguns dos comentários dos participantes ao sair das canoas.

Após a canoagem, o barco já se encontrava à nossa espera para seguirmos viagem, também na Vala Nova, mas desta vez com um percurso maior e com uma vertente diferente. Neste percurso, ficaríamos a conhecer mais sobre a história do local e as espécies que nele habitam. Acompanhados pelo Diogo, o passeio com mais de uma hora, permitiu observar as diferentes aves que habitam nas margens do rio, entre garças e cegonhas. Infelizmente, durante todo o percurso a presença do jacinto-de-água foi uma constante. Esta planta aquática invasora com origem na América do Sul, foi introduzida em Portugal e está a causar efeitos negativos nos ecossistemas de água doce e estuarinos de todo o país, porque cresce muito rápido e provoca a obstrução dos rios, cobrindo totalmente a sua superfície.

Na hora de almoço, os participantes foram desafiados a fazer um picnic com zero resíduos e todos fizeram um esforço para produzir o menor número possível de resíduos, através da utilização de materiais reutilizáveis.

Da parte da tarde, como forma de cada um deixar a sua marca na Vala Nova e de refletir sobre a problemática das espécies exóticas invasoras, foi realizado um workshop durante o qual os participantes criaram a sua placa que iria ser fixada num tronco de uma árvore à entrada do local. Esta foi uma forma de assinalar o Dia Mundial dos Rios e, quiçá, dar início a uma prática de cada um que passar por este local deixar o seu testemunho.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

No final do dia, o feedback foi muito positivo. Todos os participantes saíram de Benavente com vontade de voltar e, acima de tudo, de viver bons momentos junto ao rio.