lifeEditor

Aspea: educação ambiental é uma ferramenta social contra a IAS

A educação ambiental é uma das principais ferramentas no combate às espécies exóticas invasoras (EEI), sendo capaz de mobilizar as pessoas e mudar a percepção social do problema.

Este facto foi realçado no passado dia 17 de Maio na apresentação em Lisboa do projecto Life Invasaqua, que está a ser desenvolvido por entidades de Portugal e Espanha com o objectivo de aumentar o conhecimento das IAS em ambientes aquáticos, os seus efeitos, medidas de prevenção e ferramentas de controlo e mitigação.

Para Laura Gozález, da Associação Portuguesa de Educação Ambiental (Aspea), “é necessário sensibilizar a sociedade para a importância deste problema”, que constitui uma das principais causas da perda de biodiversidade, mas para isso “temos de estabelecer uma metodologia clara e eficaz para atingir o maior número possível de pessoas”.

Aspea participa como membro do projecto Life Invasaqua -coordenado pela Universidade de Murcia- juntamente com a Universidade de Évora, a Sociedade Ibérica de Ictiologia (Sibic), o Museu Nacional de Ciências Naturais (MNCN), a União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN), a Universidade de Navarra, a Universidade de Santiago de Compostela e a Agência EFE.

O objetivo da Aspea é disseminar informações e promover atividades de educação ambiental em escolas relacionadas ao problema da IEE em ambientes aquáticos de água doce e estuários.

Dia da Apresentação

A apresentação na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa contou com a presença de mais de cem pessoas, interessadas tanto nas apresentações como no debate gerado entre especialistas e o público na sessão seguinte.

De acordo com os oradores, os rios e estuários de Portugal e Espanha contêm cerca de 200 espécies exóticas de fauna e flora e cada ano esse número aumenta ao ritmo de duas novas espécies, e algumas delas têm também impactos importantes na economia, saúde, serviços ecossistémicos e biodiversidade.

A sessão foi aberta por uma mesa redonda na qual participaram a Professora Margarida Santos-Reis, Directora Adjunta da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa e o Professor José Lino Costa, Director Adjunto do Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE); Professor Francisco José Oliva Paterna, da Universidade de Múrcia (coordenador do projecto); Professor António Candeias, Vice-Director da Universidade de Évora, e Professor Isabel Lico, da Agência Portuguesa do Ambiente – Programa LIFE.

Em seguida, Filipe Ribeiro, em representação da Sociedade Ibérica de Ictiologia (SIBIC) e MARE, explicou os objectivos e metodologia do projecto Life Invasaqua e fez referência ao necessário envolvimento de todos, desde o público em geral aos sectores envolvidos, na prevenção e sensibilização.

Por seu turno, Pedro Anastácio, representante da Universidade de Évora e da MARE, reviu o estado actual das espécies aquáticas exóticas – cujo custo médio anual pelos danos causados ascende a 12.000 milhões de euros por ano – e destacou a sua crescente presença nos últimos anos e os principais vectores de entrada.

Finalmente, outra mesa redonda moderada por Luís Ribeiro, da revista Visão, contou com a presença de João Loureiro, do Instituto para a Conservação da Natureza e da Floresta (ICNF); Ana Ilhéu, da Empresa de Desenvolvimento e Infra-estruturas de Alqueva, S.A. (EDIA); Maria João Correia, do Conselho de Administração da Aspea; Ricardo Alves, do Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA-GNR); Pedro Anastácio, da Universidade de Évora; e Filipe Ribeiro, da SIBIC.

Sobre a Vida Invasaqua

O projecto “Life Invasaqua, espécies exóticas invasoras em sistemas de água doce e estuários: sensibilização e prevenção na Península Ibérica”, visa alertar a sociedade civil e diferentes grupos-chave sobre o problema das espécies exóticas invasoras (EEI) nos ecossistemas aquáticos da Península Ibérica, através de colaborações com diferentes entidades em Portugal e Espanha, desde universidades a agências de comunicação.


About LIFE17 GIE/ES/000515 Life Invasaqua of the EU.

Espécies exóticas invasoras de água doce e sistemas estuarinos: sensibilização e prevenção na Península Ibérica

Co-financiado pela UE no âmbito da iniciativa Life e coordenado pela Universidade de Múrcia, LIFE INVASAQUA visa contribuir para reduzir os impactos nocivos das ESPÉCIES EXÓTICAS INVASORASORAS (IEE) na biodiversidade, aumentando a sensibilização do público, aumentando a formação nos sectores envolvidos e criando ferramentas para um sistema eficaz de alerta rápido e resposta rápida (EWRRR) para gerir os seus impactos nos ecossistemas e estuários de água doce.

Life Invasaqua é coordenado pela Universidade de Múrcia com a participação de 8 parceiros:: EFEverde da Agencia EFE,  UICN-Med,  Museo de Ciencias Naturales-Centro Superior de Investigaciones Científicas,  Sociedad Ibérica de Ictiología (SIBIC)Universidad de NavarraUniversidad de Santiago de Compostela,  Universidad de Évora e Associaçao Portuguesa de Educaçao Ambiental (ASPEA)

@lifeinvasaqua

Socios Invasaqua