Mulher condenada na Nova Zelândia por entrar com mil cactos presos ao corpo

Sydney (Austrália), 4 fev (EFE) .- Uma mulher na Nova Zelândia foi condenado a 100 horas de serviço comunitário quando ela era culpado de tentar contrabandear cerca de 1.000 cactos que foram anexadas ao seu corpo para o país ilegalmente, autoridades relatam. “A lei tem o seu papel na proteção Nova Zelândia a partir de ameaças de biossegurança muito a sério”, diz Simon Anderson, pesquisador. Do ministério.

Wenqing (Wendy) Li, 38, da nação oceânica, foi detida no Aeroporto Internacional de Auckland ao retornar de uma viagem à China em 24 de março de 2019, quando um cão policial detectou que ela estava carregando uma carga incomum.

A mulher tentou se desfazer da carga em um banheiro do campo de aviação, mas foi descoberta pelas autoridades, que encontraram várias meias onde ela carregava as plantas, avaliadas em 10.000 NZD (7.196 USD ou 5.987 EUR), presas ao longo de seu corpo.

A mulher, identificada como uma comerciante de plantas online, se confessou culpada no tribunal local esta semana por esta e outras acusações relacionadas às duras leis de biossegurança da Nova Zelândia, informou o Ministério das Indústrias Primárias na quarta-feira.

Pragas invasoras

“A lei tem o seu papel na proteção Nova Zelândia a partir de ameaças de biossegurança muito a sério. O nosso país tem a sorte de ser livre de muitas das pragas invasoras e doenças encontradas em outros países”, diz Simon Anderson, pesquisador. Do ministério.

Em outro incidente subsequente, em julho de 2019, a mulher também foi pega portando ilegalmente 142 tipos de sementes na bagagem, entre outras mercadorias.

Nova Zelândia, que tem uma lista de quase 15.000 plantas e animais indesejáveis, doenças e pragas marinhas, tem leis rígidas de segurança para proteger seu frágil ecossistema que tem espécies únicas no mundo, bem como a sua importante indústria agro-pecuária, uma chave componente para sua economia. EFE

wat-nc / ics

 

PT/ GUIA DAS ESPÉCIES EXÓTICAS E INVASORAS DOS RIOS, LAGOS E ESTUÁRIOS DA PENÍNSULA IBÉRICA

ES / GUÍA “¡CUIDADO! INVASORAS ACUÁTICAS”

ENG/ GUIDE TO THE ALIEN AND INVASIVE SPECIES OF RIVERS, LAKES AND ESTUARIES IN THE IBERIAN PENÍNSULA

 


About LIFE17 GIE/ES/000515 Life Invasaqua of the EU.

Espécies exóticas invasoras de água doce e sistemas estuarinos: sensibilização e prevenção na Península Ibérica

Co-financiado pela UE no âmbito da iniciativa Life e coordenado pela Universidade de Múrcia, LIFE INVASAQUA visa contribuir para reduzir os impactos nocivos das ESPÉCIES EXÓTICAS INVASORASORAS (IEE) na biodiversidade, aumentando a sensibilização do público, aumentando a formação nos sectores envolvidos e criando ferramentas para um sistema eficaz de alerta rápido e resposta rápida (EWRRR) para gerir os seus impactos nos ecossistemas e estuários de água doce.

Life Invasaqua é coordenado pela Universidade de Múrcia com a participação de 8 parceiros:: EFEverde da Agencia EFE,  UICN-Med,  Museo de Ciencias Naturales-Centro Superior de Investigaciones Científicas,  Sociedad Ibérica de Ictiología (SIBIC),  Universidad de Navarra,  Universidad de Santiago de Compostela,  Universidad de Évora e Associaçao Portuguesa de Educaçao Ambiental (ASPEA)

@lifeinvasaqua