Programa Floresta Comum: espécies nativas, aliado ao combate das espécies invasoras

Esposende recebe mais de 2000 árvores autóctones para reflorestação. Aquela Câmara do distrito de Braga esclarece que as árvores serão plantadas ao âmbito do programa Floresta Comum, que “promove o fomento e incentivo à criação de uma floresta autóctone com altos índices de biodiversidade e de produção de serviços de ecossistema”.

Entre as aproximadamente 2000 árvores de espécies adaptadas ao território estão exemplares de pinheiro-manso, medronheiro, bétula, azereiro e diferentes espécies de carvalhos.

Aliado ao combate das espécies invasoras

Com este programa, a autarquia pretende “dar continuidade à sua aposta no fomento das espécies nativas, aliado ao combate das espécies invasoras”, salientando o texto que “a perda de biodiversidade e o colapso dos ecossistemas são considerados, pela Organização das Nações Unidas (ONU), como fazendo parte das cinco maiores ameaças à humanidade, assim como os eventos climáticos extremos, crises alimentares e de água e falha na adaptação às alterações climáticas”.

Esta iniciativa enquadra-se no cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU, nomeadamente no que concerne ao ODS 13 – Ação Climática, ODS 15 – Proteger a Vida Terrestre e ODS 17 – Parcerias para a Implementação dos Objetivos de Sustentabilidade.

jcr

 

PT/ GUIA DAS ESPÉCIES EXÓTICAS E INVASORAS DOS RIOS, LAGOS E ESTUÁRIOS DA PENÍNSULA IBÉRICA

ES / GUÍA “¡CUIDADO! INVASORAS ACUÁTICAS”

ENG/ GUIDE TO THE ALIEN AND INVASIVE SPECIES OF RIVERS, LAKES AND ESTUARIES IN THE IBERIAN PENÍNSULA

 


About LIFE17 GIE/ES/000515 Life Invasaqua of the EU.

Espécies exóticas invasoras de água doce e sistemas estuarinos: sensibilização e prevenção na Península Ibérica

Co-financiado pela UE no âmbito da iniciativa Life e coordenado pela Universidade de Múrcia, LIFE INVASAQUA visa contribuir para reduzir os impactos nocivos das ESPÉCIES EXÓTICAS INVASORASORAS (IEE) na biodiversidade, aumentando a sensibilização do público, aumentando a formação nos sectores envolvidos e criando ferramentas para um sistema eficaz de alerta rápido e resposta rápida (EWRRR) para gerir os seus impactos nos ecossistemas e estuários de água doce.

Life Invasaqua é coordenado pela Universidade de Múrcia com a participação de 8 parceiros:: EFEverde da Agencia EFE,  UICN-Med,  Museo de Ciencias Naturales-Centro Superior de Investigaciones Científicas,  Sociedad Ibérica de Ictiología (SIBIC),  Universidad de Navarra,  Universidad de Santiago de Compostela,  Universidad de Évora e Associaçao Portuguesa de Educaçao Ambiental (ASPEA)

@lifeinvasaqua