lifeEditor

Quercus dedica o seu último editorial às Espécies Invasoras e destaca o projecto Life Invasaqua

O projeto Life Invasaqua, coordenado pela Universidade de Múrcia e no qual participa a Agência EFE, ocupa parte do editorial da última edição da revista Quercus, intitulada “Águas revueltas”, na qual se destaca o aumento de espécies exóticas invasoras nos ecossistemas espanhóis e seu impacto fatal na biodiversidade.

Novas espécies

O editorial recorda a última revisão do Catálogo Espanhol de Espécies Exóticas Invasoras, no qual o Governo incluiu duas novas espécies vegetais – o tabaco mouro (Nicotiana glauca) e a erva-pampas (Cortadeira selloana) -.

A lista incluía também três espécies de répteis – a pitão real (Python regius), o varan da savana (Varanus exanthematicus) e a tartaruga da Florida (Pseudemys peninsularis) – e um mamífero, o porco vietnamita, um animal doméstico altamente apreciado como animal de estimação; neste ponto, o editorial pergunta: “Ficámos loucos?

O editorial adverte para um caso extremamente perigoso, um pequeno peixe introduzido do Mar Negro na Europa Central por entusiastas da aquariofilia e que põe os seus ovos nas guelras de bivalves tão ameaçadas como as naias, algumas delas, como as margaritones, em perigo crítico de extinção.

Globalização

O texto, que se refere à globalização como o fenômeno responsável pela expansão e proliferação cada vez mais rápida de espécies exóticas invasoras (EEI), também analisa o estado da bacia do Segura, onde são contadas 18 espécies diferentes de peixes, mas quase 80% delas não são nativas e algumas delas são catalogadas como muito prejudiciais à fauna nativa.

Finalmente, o editorial da Quercus congratula-se com o facto de projectos como o Life Invasaqua “estarem a lutar nas três frentes” que o IAS, e em particular os aquáticos, mantêm abertas, tais como a perda de biodiversidade, o impacto socioeconómico e os danos para a saúde humana.

E recorda que as águas interiores são os ecossistemas espanhóis mais fortemente alterados e também os mais frágeis, um paradoxo tendo em conta que “a água terá uma importância estratégica decisiva nos próximos anos” face a um previsível aumento exponencial da população.

invasaqua

 

Editorial de Quercus de mayo de 2019 en el que cita a Lifeinvasaqua


Life Invasaqua está coordinado por la Universidad de Murcia con la participación de 8 socios: EFEverde de la Agencia EFE,  UICN-Med,  Museo de Ciencias Naturales-Consejo Superior de Investigaciones Científicas,  Sociedad Ibérica de Ictiología (SIBIC),  Universidad de NavarraUniversidad de Santiago de Compostela,  Universidad de Évora y  Associaçao Portuguesa de Educaçao Ambiental (ASPEA)


Sobre LIFE17 GIE/ES/000515  Life Invasaqua de la UE.

Especies exóticas invasoras de agua dulce y sistemas estuarinos: sensibilización y prevención en la Península Ibérica

Cofinanciado por la UE en el marco de la iniciativa Life  y coordinado por  la Universidad de Murcia,  LIFE INVASAQUA tiene por objeto contribuir a la reducción de los impactos perjudiciales de las ESPECIES EXÓTICAS INVASORAS (EEI) sobre la biodiversidad mediante el aumento de la sensibilización del público, el aumento de la formación en sectores involucrados y la creación de herramientas para un sistema eficiente de alerta temprana y respuesta rápida (Early Warning and Rapid Response, EWRR) para gestionar sus repercusiones en los ecosistemas de agua dulce y estuarios.


camalote

camalote